Protecção auditiva

A perda de audição relacionada com a exposição ao barulho é a doença profissional mais frequente, tanto na Europa como na América do Norte, representando cerca de um terço de todos os casos de doença relacionadas com o trabalho. Esses distúrbios podem ter efeitos duradouros que causam stress, fadiga ou isolamento, aumentando significativamente o risco de acidentes de trabalho induzidos por outros fatores. A perda de audição é irreversível e frequentemente detetada tardiamente, razão pela qual os EPI que cobrem este risco estão classificados na categoria III.

 

 

O ouvido e os sons

O barulho, como fenómeno vibratório, caracteriza-se por:

  • A sua intensidade (em decibéis [dB]) corresponde à amplitude das vibrações emitidas pela fonte sonora. 0 dB corresponde ao nível sonoro mínimo audível pelo ouvido humano. O limiar de dor é de 120 dB e o ouvido pode sofrer danos a partir de 85 dB.
  •  A sua frequência (em Hertz [Hz]) irá definir a altura percebida. Quanto mais elevada for a frequência mais agudo será o som e, quanto mais baixa, mais grave será o som. O ouvido humano pode perceber sons a frequências compreendidas entre 20 Hz (muito grave) e 20.000 Hz (muito agudo).
  • A sua duração e variação, que permitem distinguir sons muito breves, com uma duração na ordem do segundo, tais como os ruídos impulsivos (disparo, impactos) de sons de maior duração (horas, dia), para os quais é importante de considerar a dose resultante de ruído recebida.
o ouvido e os sons

Podemos decompor o ouvido em três partes distintas:

  • O ouvido externo, constituído pelo pavilhão e pelo canal auditivo
  • O ouvido médio, situado entre o tímpano e o ouvido interno. Está cheio de ar e permite, através dos ossículos, transformar as vibrações aéreas em vibrações solidianas, analisáveis pelo ouvido interno.
  • O ouvido interno, coração do sistema auditivo, constituído por uma cabidade cheia de líquido com a cóclea, onde se encontra o órgão de Corti. Neste, as vibrações do líquido são transmitidas aos ossículos e captadas pelas células ciliadas, que as selecionam por frequência. A informação é então conduzida pelo nervo auditivo até ao córtex cerebral que a poderá interpretar.
o ouvido e os sons

 

 

DB(A)

O ouvido humano é particularmente sensível a cada gama de frequência. A níveis sonoros moderados, não é tão sensível aos sons graves. Para representar essa sensibilidade particular, as medições de ruídos e normas utilizam uma ponderação dos níveis sonoros medidos, designada ponderação A. Os decibéis ponderados desta forma são indicados dB(A).

 

 

Como proteger-se bem?

Escolher o aparelho de protecção anti-ruído adequado.

  • Identificar o tipo de ruído: estável, flutuante, intermitente, impulsivo.
  • Caracterizar o ruído no posto de trabalho: intensidade (dB) e frequência (Hz).
  • Determinar a duração da exposição
  • Calcular a atenuação necessária para voltar a valores aceitáveis (cf Directiva 2003/10/CE)..

 

directive 2003/10/CE

 

O desempenho do protector auditivo (o seu nível de atenuação) deve ser adaptado à avaliação do risco no posto de trabalho. Deve fazer com que o ruído esteja a um nível não nocivo para a saúde, evitando ainda uma sobre-protecção que cortaria o operador do seu ambiente (alerta, comunicação, etc.).

 

Abafadores anti-ruído

Casques antibruit

 

 

Tampões auriculares

Bouchons d'oreille

 

 

Dose diária regulamentar autorizada consoante o nível sonoro

dose diária regulamentar autorizada consoante o nível sonoro

 

 

Valores de atenuação do ruído

Valeur d'atténuation par niveau sonore

Como utilizar os valores de atenuação?

3 indicadores, do mais simples ao mais preciso, são disponibilizados a outilizador:

  • SNR (Single Number Rating): Valor da redução média do ruído.
  • HML : Valores de atenuação expressados em função dos níveis médios de frequências:
    • H : Atenuação do EPI em altas frequências (ruídos agudos)
    • M : Atenuação do EPI em frequências médias
    • L : Atenuação do EPI em frequências baixas (ruídos graves)
  • APV (Assumed Protection Value) : Valores de atenuação expressas em 8 níveis precisos de frequências (cf. a ficha técnica do protector auditivo).  

 

 

Taxa de uso

Taux de port

Modo de uso

Quando um equipamento de proteção auditiva pode ser usado de várias maneiras (na cabeça e sob o queixo, por exemplo), deve ser testado para cada modo de uso.

modo de uso

 

 

Dupla proteção

Quando não chega o uso de uma única proteção auditiva, poderão ser combinadas.
A atenuação resultante do uso simultâneo de tampões para os ouvidos com um SNR de classe B e uns abafadores anti-ruído com um SNR de classe ST é calculada através da seguinte fórmula: 33xlog ((0,4xB)+(0,1xST))

 

 

Nível de ruído

Niveau sonore

 

 

Protection auditive Delta Plus